PPOETAS  DA  NOSSA  TERRA

JOSÉ FERNANDES MACHADO

BENFEITA

Fui junto à ponte Fundeira
Que, feliz, a vez primeira,
Olhando em volta de mim,
Contemplei embevecido,
De todo o mundo esquecido,
Este formoso jardim.

Coisas lindas que então vi,
Nunca mais as esqueci,
- Eu não as posso esquecer -
Oliveiras tamaninhas,
Nas encostas e nas vinhas
A subir ou a descer.

Castanheiros seculares,
Carcomidos, mas com ares
De quem deseja viver,
Pareciam dizer ao vento
Que fosse menos violento,
E os não fizesse sofrer.

E marginando a ribeira
Ou subindo uma ladeira,
Lembrando mesmo um vergel
As videiras ofereciam
Às pessoas que as viam
Uvas mais doces que o mel.

Benfeita, terra tão linda,
Como poucas vi ainda,
Vem ouvir o que te digo:
Quem um dia aí viveu,
Certamente como eu,
Ficou sempre teu amigo.

O TIO QUINTA-FEIRA

Eu sinto muito prazer
Em pintar ou descrever
Se posso, sei ou consigo,
Um retrato parecido
D'alguém vivo ou falecido
De quem sou ou fui amigo.

O meu tio da Benfeita,
De quem falar me deleita,
Por ser assim como é,
Nunca a outrem foi igual,
Nunca disse bem do mal
Nem negou a sua fé.

Também não sabe mentir,
Mostrar-se triste ou fingir
Que sofre como os demais
O que no seu entender
Tinha ou tem de acontecer,
É destino dos mortais.

No que toca ao português,
A língua que o povo fez
E que julga falar bem,
Diz tudo como aprendeu
Quando com o rabo ao léu
Fugia de casa à Mãe.

Discute com toda a gente,
Desde o sensato ao demente,
Desde o ministro ao porteiro,
Sente-se sempre à vontade,
Quando defende a verdade
Ou desanca um embusteiro.

Como outrora S.José,
Na oficina em Nazaré,
Ao lado do seu Jesus,
Também ele é carpinteiro
E trabalha o dia inteiro
Abraçado à sua cruz.

Ainda o Sol não alveja
Na torre da velha igreja
Abrindo as portas ao dia,
Já o tio Quinta-feira
Saiu de ao pé da lareira,
Onde há pouco se aquecia.

Já passando dos oitenta,
Vai buscar a ferramenta
Com que ganha o negro pão;
Vai cumprir as leis da vida
Que, apesar de tão comprida,
Jamais a passou em vão.

Com suas mãos calejadas,
Faz as obras desejadas
Com a maior perfeição;
Há-de ser sempre lembrado
Quando um dia for chamado
A cumprir outra missão.

VoltarSubir