POETAS  DA  NOSSA  TERRA

José Simões Dias

A volta do peregrino

A ver-vos torno, ó grutas,
Ó côncavos penedos,
Onde hei depositado
Meus infantis segredos!

Vós me estais recordando
O tempo em que me vistes,
Hinos cantando alegres,
Canções chorando tristes!

Lá quando o sol da tarde
Vos circundava a crista,
Trono celeste donde
Se espraia ao longe a vista;

Ai! Quantas, quantas vezes
Me fui sentar, e os braços
Cruzando, interrogava
A mudez dos espaços!

Montanhas arrelvadas,
Vergéis do meu país,
Vendo-vos torno aos dias
Dessa idade feliz!

Feliz porque sonhando
Andava a toda a hora,
Na doce paz tranquila
Que já não vejo agora!

Por isso eu vos saúdo,
Por isso eu vos bendigo,
Lugares que me fostes
Berço, consolo e abrigo!

Ainda agora ao ver-vos,
Ó campos tão queridos,
A alma se me dilata,
E me invade os sentidos

Um não sei quê de vago,
Um tão suave encanto,
Que involuntário acode
A borbulhar meu pranto!

Além campeia a torre
Da solitária igreja,
E ao pé triste cruzeiro
No cemitério alveja!

Humilde cemitério,
Onde eu colhia flores,
Pobre inocente! Enquanto
Outros carpiam dores.

Quão outro me pareces,
Agora que eu procuro
Reler em cada lápide
O enigma do futuro,

E decifrar a letra
Das linhas apagadas
Do livro que se estende
Por cima das ossadas!

... Continua

VoltarSubirAvançar