LIGA  DE  MELHORAMENTOS  DA
FREGUESIA  DA  BENFEITA

Breve historial

Fundada em 30 de Setembro de 1920, com o nome de Liga de Defesa e Engrandecimento da Freguesia da Benfeita, mais tarde denominada União de Melhoramentos da Freguesia da Benfeita, em 5 de Fevereiro de 1928 e, finalmente, Liga de Melhoramentos da Freguesia da Benfeita, desde 1 de Janeiro de 1945, esta instituição foi concebida tendo em vista a promoção de benefícios e melhoramentos, destinados ao bem-estar das povoações que representa.

Em Abril de 1965 são iniciadas as obras para a construção da Casa da Liga, num terreno cedido por António Francisco Nunes (Péssimo), cujas instalações ocupa actualmente, mas que apenas ficaram concluídas em Abril de 1971, após diversos anos de crise, esmorecimento, desinteresse, paralisação e muitos gastos.

Em 1972, a Liga encontra-se num período de crise profunda, a mais grave de sempre. A sua actividade é nula, as quotas não se cobram, a Assembleia Geral não reúne, a Casa mantém-se fechada e sem equipamento e os associados afastam-se.

Em Abril de 1974, apenas os mais idosos permaneciam na Benfeita. Desde então a situação não se tem alterado significativamente, salvo algumas tentativas efémeras de ressurgimento.

Além de contribuir para a realização de pequenas obras, como a ampliação e o embelezamento do Largo do Areal, em 1921, a Liga conseguiu o Posto de Correios do Sardal, em 1923.
Solicitou ao Governo, a construção da linha telefónica que viria apenas a ser instalada na Benfeita, em 1933.
Em 1928 deu os primeiros passos no sentido de dinamizar a concretização da suprema aspiração dos Benfeitenses: a construção da estrada de macadame da Portelinha à Benfeita, a qual apenas teve o seu início em 11 de Novembro de 1931 e se concluiu em 17 de Julho de 1938.
À construção da estrada seguiram-se outras iniciativas, como: as fontes, a ampliação do cemitério, a pavimentação das ruas e a terraplanagem do Santuário da Senhora das Necessidades.
A Electricidade, o Campo de Futebol, a Escola Primária e o Rancho Folclórico dos "Manjericos", foram outras acções em que a Liga contribui com o seu empenho dinamizador.

Em Novembro de 1981 constituiu-se legalmente como Associação, por tempo indeterminado, tendo adoptado a designação que já vinha usando desde 1945, conforme escritura lavrada em 19/11/1981, no Cartório Notarial de Arganil e tendo como objectivo a promoção de todos e quaisquer melhoramentos materiais e morais na freguesia de Benfeita.

Em Fevereiro de 1982, a Liga de Melhoramentos da Freguesia de Benfeita, foi reconhecida como pessoa colectiva de Utilidade Pública, conforme consta do despacho do Gabinete do Primeiro Ministro, Francisco Pinto Balsemão, publicado no Diário da República, II série, nº 34, de 10/02/1982.

Jornal de Arganil
1975

 

A Liga de Melhoramentos da Freguesia de Benfeita

COMEMORA ESTE ANO O SEU 30º ANIVERSÁRIO 

Suas realizações e seus próximos objectivos 

 

A Liga de Melhoramentos da Freguesia de Benfeita, que comemora no corrente ano o seu 30º aniversário e, como é do conhecimento geral, vasta e louvável acção tem desenvolvido durante a sua já longa existência, está atravessando uma fase de dinamização de que temos dado conhecimento em notícias anteriores.

A sua fundação deve-se à iniciativa de dois filhos da Benfeita, que laços de amizade reunia diariamente. Foram eles Adelino dos Santos e José Rosa Gomes. A idela foi apadrinhada imediatamente por Autónio Correia e os três procuraram outros elementos dispostos a concretizá-la.

Leonardo Gonçalves Matias, já com actividade meritória no sentido do desenvolvimento da nossa terra, foi dos primeiros a colaborar, bem como o dr. Elísio Dias da Fonseca.

Nestes trinta anos de vida da Liga de Melhoramentos, muito se tem feito na Benfeita e em quase todos os empreendimentos a Liga esteve presente com a iniciativa e execução das obras.

Para que a Benfeita tivesse luz, telefone, água nos fontanários e posteriormente nos domicílios, ruas calcetadas, uma estrada que atravessa a povoação é dá condições de acesso, por estrada, a Pardleiros e Sardal e finalmente um centro de cultura e recreio, muitos deram o seu melhor para o conseguir, com trabalho e dedicação, nas diversas direcções que geriram a Liga de Melhoramentos.

Todos os que ligaram o seu nome à Liga de Melhoramentos, por mérito próprio, são merecedores de uma saudação muito especial, no momento em que se comemora o 30º aniversário da colectividade.

Recordamos, com profunda saudade, os que já não nos podem acompanhar na comemoração do aniversário, e muitos trabalharam, em vida, para o desenvolvimento da nossa terra.

Mas se a Liga de Melhoramentos foi o «motor» de todos estes empreendimentos, qual foi o «combustível»?

Foi o povo da Benfeita. Sim, foram os filhos da Benfeita que, labutando na terra natal ou por esse mundo fora, nunca esqueceram a terra que os viu nascer e muito amam. A essa massa anónima se deve, na realidade, tudo quanto foi feito. Desde os de mais débeis recursos financeiros, aos mais abastados, todos têm estado presente nas iniciativas que visem a promoção da nossa terra.

Raro exemplo de «querer» e amor à terra natal, encontramos no povo benfeitense.

Está a actual direcção da Liga de Melhoramentos empenhada no cumprimento de um programa de actuação que a si impôs realizar, com a aprovação da assembleia geral que a elegeu.

Nesse programa consta, como objectivo principal e prioritário, o aproveitamento da sua «Casa Regional», na Benfeita, até agora encerrada e vazia, para nela se desenvolver uma intensa actividade que conduza à promoção sócio-cultnral do povo da freguesia da Benfeita. Para concretizar este objectivo, muito dinheiro é necessário.

A jovem equipa dirigente da «Liga» não se tem poupado a esforços e com o inegável apoio e auxilio monetário dos seus associados, em dois meses, já enriqueceu os seus fundos em cerca de vinte e cinco contos.

Algumas ofertas, a concretizar, já foram prometidas, no valor de dezoito contos, ainda não recebidos. Mas a meta a atingir ultrapassa os duzentos contos.

É necessário dar vida àquela casa, tristemente fechada. O povo da Benfeita, bem o merece.

Solicita-se a todos os associados o pagamento de todas as quotas do corrente ano.

Apelamos para que todos os conterrâneos nos ajudem, com ofertas em dinheiro ou outras, a fim de, rapidamente, se angariarem fundos que permitam a aquisição do equipamento indispensável à utilização da «Casa» como centro de convívio, recreio e cultura.

Comemoremos o 30º aniversário da Liga de Melhoramentos da Freguesia de Benfeita com a concretização deste projecto, pois se, também desta vez, os filhos da Benfeita «quiserem», conseguem-no.

-R.