IGREJA  DA  BENFEITA

A Igreja Paroquial da Benfeita é dedicada a Santa Cecília. O seu tipo de construção é o corrente no final do século XVIII, com cunhais, na frontaria, em forma de pilastras dóricas, ligadas pela cimalha direita, que vem dos sub-beirais e que, com a da empena, dá um aspecto de frontão. A porta é rectangular, de cornija direita sobre a qual assenta a janela simples do coro.


(Click sobre a imagem para ouvir as 12 badaladas)

A torre, à direita, ligada arquitectonicamente à fachada, de cunhais e fortes cimalhas de cantaria, é baixa e rematada em forma bolbosa, em plano quadrado. Tem dois sinos: um é de 1792 e o outro, assinado: "Fez José António Linhares", é de 1902. O cruzeiro de pedra, no adro adjacente, foi colocado em 2005, aquando das obras de beneficiação dos arruamentos da aldeia e foi mandado erigir por iniciativa conjunta da Igreja e da Junta de Freguesia.



O antigo mecanismo do relógio da torre (à esquerda) já não funciona há muitos anos, estando em actividade um sistema electrónico com altifalantes.

O tecto da nave principal da igreja tem pintado o brasão das armas episcopais do arcebispo-bispo-conde D.Ernesto Sena de Oliveira, arcebispo de Coimbra em 1948: Escudo de prata com oliveira ramada de verde e frutada de negro ao centro e três lucernas de preto, acesas na pala. O crismon dourado sobre fundo azul, sobrepujado com a coroa de conde de ouro, com pedraria e pérolas, encimada por chapéu eclesiástico de cordões de quatro ordens de borlas, por lado (arcebispo), ladeado pela mitra episcopal e pela crossa de báculo, tendo ao centro, entre o chapéu e a coroa condal, a cruz de ouro arquiepiscopal. O listel é branco com a legenda a preto "FAC UT ARDEAM" (Fazei com que ardam - que poderia ser uma referência às candeias acesas, tendo em conta o trabalho, a olivicultura e o azeite que, em tempos, eram a maior riqueza da aldeia); mas, que está de acordo com o dito do Salvador aos Seus discípulos: "Vós sois a luz do mundo... Deixai a vossa luz...brilhar...".

Tem cinco altares: o principal, ao fundo, é uma obra moderna do entalhador da Aldeia das Dez, José Tavares, imitação setecentista, com uma pintura de Santa Cecília, padroeira dos músicos, tocando harpa. As esculturas secundárias do altar-mor são de Santa Cecília, à esquerda, e da Senhora do Rosário, à direita. Os altares colaterais, em madeira, de duas colunas e sóis radiantes, pertencem ao final do século XVIII, e são dedicados: um, ao Sagrado Coração de Jesus, à esquerda, e o outro, a Nossa Senhora de Fátima. Incluídos em arcos da nave estão os altares de São José no da esquerda e de São Sebastião no da direita.

O altar principal e os colaterais

Sagrado Coração de Jesus

Nossa Senhora de Fátima

Altar principal

Pintura de Santa Cecília

Santa Cecília

Nossa Senhora do Rosário

Altar de São Sebastião

Altar de São José

São Sebastião

São José

Coro

Púlpito

Baptistério

Entrada

Retábulo de oratório com uma pintura sobre madeira representando as almas que ardem no fogo do Purgatório

Adoração do Santíssimo Sacramento pintada no tecto da nave do altar de Santa Cecília

Sacristia

Fonte de azeite para lamparinas

Nossa Senhora da Graça

Nossa Senhora da Graça

Castigo e esperança *

S.João Baptista

Fotografias de V.Quaresma - Março/2008

*Génesis 3:15 - O Senhor Deus disse à serpente: Farei reinar a inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta esmagar-te-à a cabeça, ao tentares mordê-la no calcanhar.

Veja também:
Paróquia de Santa Cecília
Párocos da Benfeita
Oragos de Santa Cecília
Serviço religioso
Centro Social Paroquial da Benfeita
História de Santa Cecília
A imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro
A Paixão de Cristo - A visão de um médico sobre aquilo que poderá ter sido a agonia de Jesus.
O Grupo do Terço
A Visita Pascal
O culto da Sagrada Família