O  DIA  DE  NATAL

A TRADIÇÃO NATALÍCIA

Na véspera de Natal as famílias portuguesas reúnem-se à volta da árvore de Natal e do presépio para celebrarem o nascimento de Jesus. O catolicismo é a principal religião em Portugal e na Benfeita. Assim, o presépio desempenha um papel importante na celebração natalícia.

Tradicionalmente as crianças estão encarregadas de recolher os materiais utilizados na montagem do presépio. Enquanto algumas famílias apresentam apenas as três figuras principais, representando a Sagrada Família: o Menino Jesus, a Virgem Maria e São José, outras criam cenários maiores, acrescentando os três Reis Magos, o pastor e as ovelhas, lagos (feitos geralmente com espelhos) e montes (feitos com pedras, musgo e barro).

A maior parte das crianças portuguesas escreviam cartas ao Menino Jesus pedindo presentes; hoje, o Pai Natal da Coca-Cola parece ter tomado conta do seu lugar.

Muitas famílias assistem à Missa da meia-noite, a chamada "Missa do Galo", que é o principal acto litúrgico. Depois da missa reúnem-se à mesa para cear, é a chamada "Ceia de Natal". Na véspera de Natal, o jantar, chamado "Consoada", consiste num prato de bacalhau com batatas e couves. Depois da refeição comem-se sobremesas fritas tradicionais: as "filhoses ou filhós", que são feitas com massa de pão, geralmente com abóbora e polvilhadas com açúcar e canela depois de fritas em azeite ou óleo; as "rabanadas ou fatias douradas", que são feitas com fatias de pão de forma passadas por leite; as "azevias", bolos tipo rissol recheados com massa de grão cozido, açúcar e casca de limão e a "aletria", que é um doce com leite e ovos, típico da região do Douro e Minho.

Outra sobremesa tradicional é o "Bolo Rei". Este é um bolo de frutas que é tipicamente um bolo de Ano Novo, mas que se tornou popular durante as férias de Natal. Dentro do bolo há dois brindes: um, é um pequeno presente como um anel de pechisbeque, uma bonequinha em metal ou uma pequena medalha. O outro, já não é tão bem-vindo: é uma fava! Quem tirar a fava terá de comprar o "Bolo Rei" do ano seguinte. Juntam-se a estas sobremesas muitas outras, diferentes de região para região.

Os coscorões ou coscoréis são um bolo típico da gastronomia local que, dado serem de fácil confecção, existem em quase todos os lares benfeitenses nesta quadra.

Em algumas regiões do interior, os jovens entoam cânticos de Natal de porta em porta, as "Janeiras", apelando à solidariedade e generosidade dos seus habitantes, principalmente dos mais abastados. Esta tradição inicia-se no Natal e prolonga-se até ao dia de Reis.

Algumas famílias abrem os presentes, que são dispostos ao redor da árvore de Natal, na véspera de Natal, por volta da meia-noite. Outras, abrem-nos na manhã do dia 25, dia de Natal. Cada criança da casa coloca um "sapatinho" perto da chaminé (uma vez que quase todas as cozinhas têm uma) ou perto da lareira, e é à volta de cada um que são colocados os presentes destinados ao respectivo dono. No dia de Natal come-se peru ao almoço seguido das sobremesas tradicionais. Durante as férias de Natal a aldeia é decorada com iluminação alusiva, terminando as festividades no "Dia de Reis", a 6 de Janeiro.

Outra tradição da noite de Natal que pertence sobretudo aos rapazes da aldeia é a de escolher, cortar e transportar para o adro da igreja, o madeiro do Natal, um grande cepo de madeira de azinheira (a mais dura e que queima mais lentamente), que irá arder durante toda a noite da consoada e, ainda, sobrar para o Ano Novo e para os Reis.

O madeiro do Natal aquece o coração do povo que, transbordando de amizade, fraternidade e solidariedade conversa e petisca junto à fogueira até altas horas da madrugada, cantando as Janeiras. Dentre eles contam-se os habitantes e os naturais da terra que chegam da capital e de outros pontos do País para festejarem o nascimento de Cristo com os seus familiares. O calor que emana da madeira e a luz das chamas incandescentes que ilumina o frio do Inverno simboliza o nascimento de Jesus. O madeiro de Natal é aceso, também, na chaminé de todas as casas com crianças, onde o Menino Jesus (ou Pai Natal) há-de colocar os brinquedos no sapatinho.

QUEIMA DO MADEIRO

CANTANDO AS JANEIRAS

Postais de Boas Festas, emitido pelos CTT, no Natal de 1950.

Nesta quadra festiva, o Centro Paroquial leva a efeito um convívio especial entre os seus utentes, normalmente muito concorrido e animado. Os nossos idosos têm a possibilidade de poderem confraternizar com os amigos e vizinhos, nas instalações do Centro Social que, no dia da festa, se desdobra em atenções e cuidados proporcionando excelentes momentos de boa disposição.