CTT  DA  BENFEITA

CTT nas Juntas de Freguesia

O edifício, em cujo Rés-do-Chão funcionou, nos últimos 38 anos, os CTT da Benfeita, embora sendo propriedade de Dª Lucinda Dias, mãe do professor Carlos Dias (Carlos da Capela), foi concebido propositadamente para instalação dos serviços dos CTT.
Foi construído pelo benfeitense Alberto Bernardo Dias, sob planta e fiscalização técnica dos engenheiros da Administração Geral dos Correios, Telégrafos e Telefones, mercê de um contrato de aluguer entre o proprietário construtor e aquele Departamento do Estado.

CTT/Benfeita (1966 - 2004)

Foi inaugurado em 27/06/1966, com toda a pompa e circunstância, na presença do Sr.Governador Civil do Distrito de Coimbra, Eng. José Horácio de Moura e de um qualificado representante do Correio-Mor. Ao acto estiveram presentes, o prior da freguesia - Padre Joaquim da Costa Loureiro, o Presidente da Junta de Freguesia - Dr.Mário Mathias, o Presidente da Câmara Municipal de Arganil - Coronel Silva Sanches e o médico municipal de Arganil - Dr.Parente dos Santos, entre outras individualidades e público.

Por decisão estratégica dos CTT, foi decidido encerrar todas as estações e postos dos Correios, "nas zonas rurais e de densidade populacional reduzida". Com base nesta decisão foi assinado, em 2 de Setembro de 2003, um protocolo entre os CTT-Correios de Portugal e a ANAFRE-Associação Nacional de Freguesias, com vista à transferência, para aquelas autarquias, das estações e postos de correio abrangidos.

O processo de encerramento do posto de correio da Benfeita e a transferência dos respectivos serviços de venda ao público para a Junta de Freguesia gerou alguma insatisfação e descontentamento na população e na autarquia; porém, os CTT e a Anafre não reconheceram os argumentos que estiveram na base da contestação, gerada a nível nacional, salientando que a transferência da rede de atendimento previu, precisamente:

1 - Garantir um serviço melhor e mais próximo das populações e em condições de maior dignidade;
2 - Permitir um melhor atendimento, já que haverá um alargamento de horário, uma vez que, actualmente, algumas das ECA'S (Estações de Correio Auxiliares) funcionam só a meio tempo ou estão abertas apenas duas ou três horas por dia e as sedes das Juntas de Freguesia estão abertas durante muito mais horas.
3 - Permitir a passagem do espaço vago pelo encerramento do posto dos CTT, para as Juntas de Freguesia que não tenham instalações ou tenham instalações insuficientes, ao abrigo da Lei do Comodato.
4 - Nos casos em que a Junta de Freguesia não queira assumir o atendimento, os CTT procuram outro parceiro, no comércio ou associação local, admitindo a possibilidade de manter o balcão aberto se não for possível encontrar alternativa.
5 - Os CTT não saem dos locais onde prestam os seus serviços, pois continuarão a ser os responsáveis por todo o tratamento, transporte e distribuição postal e responsáveis pelo serviço postal universal.

Segundo os CTT, "o serviço prestado pelas actuais Estações de Correio Auxiliares não vão acabar, apenas mudam de mão", e se "os funcionários dos CTT são ajuramentados e têm dever de sigilo, também os funcionários públicos, das Juntas de Freguesia, estão obrigados ao dever de sigilo".

103 das 450 autarquias em que as Juntas de Freguesia não têm sede, passarão a funcionar nos edifícios dos CTT, e nas situações em que não têm pessoal, a transferência dos serviços vai "possibilitar e sustentar o seu funcionamento".

Edifício da Junta de Freguesia

Os CTT e a Junta de Freguesia da Benfeita, já concluíram o processo de transferência, tendo sido assinado um "Contrato de Prestação de Serviços", a partir de 01/03/2004, data em que o novo posto de atendimento entrou em funcionamento na sede da Junta, no Areal, das 09:00 às 12:30 horas.

Vivaldo Quaresma