BENFEITA.BLOG.2018



SITE DA BENFEITA - 07/05/2018

O 7 de Maio, na Benfeita!

Celebramos a Paz!Há 73 anos (de 1945 a 2018) que, na Benfeita, se vem celebrando anualmente, nesta data, o fim da guerra na Europa.

— Porquê? Porque celebra o fim da guerra? Porque:
1º Portugal passou por uma infausta experiência de guerra em Moçambique e em França, que espalhou o luto e a dor em milhares de famílias portuguesas, entre 1914 e 1918, na bem conhecida Primeira Guerra mundial;
2º Após a eclosão da Segunda Guerra mundial, em 1939, o povo português, ainda traumatizado pelos resultados da guerra anterior, temia uma nova participação portuguesa, numa altura em que já se sentia uma enorme pressão sobre o país;
3º O governo português, pobre, endividado e ainda de luto pelas mortes ocorridas na Primeira Guerra, decidiu não participar na contenda, apresentando-se definitivamente ao mundo, em 1940, como país neutral e pacífico!

— E para quê? Para que celebra o fim da guerra? Para:
1º Anunciar que, finalmente, a Segunda Guerra tinha acabado na Europa e se esperavam tempos de Paz entre as nações;
2º Homenagear os Portugueses que conseguiram manter a neutralidade de Portugal neste segundo conflito europeu, entre 1939 e 1945;
3º Homenagear os combatentes portugueses, de uma maneira geral e, em especial, evocar os soldados benfeitenses que lutaram em nome da pátria, na Primeira Guerra.

— E como? Como se celebra o fim da guerra na Europa, ou, a Paz Portuguesa?
A Segunda Guerra já durava há mais de 5 anos e a situação em Portugal, embora de paz, era de grande constrangimento social, com greves sucessivas e descontentamento geral. Toda a gente aspirava por tempos de maior tranquilidade e até se faziam promessas…
... em Lisboa, já se constava que os Bispos Portugueses, por desejo expresso do Cardeal Cerejeira, de 1934, quando visitou o Rio de Janeiro e viu a imponente imagem do Cristo Redentor, tinham prometido, em 1940, mandar erigir um monumento ao Sagrado Coração de Jesus, o que consideravam ser um dever de gratidão nacional, de profundo agradecimento a Cristo, se Portugal fosse poupado da Guerra, promessa que apenas foi formalmente declarada em 1946 e o monumento ao Cristo Rei só viria a ser inaugurado em 1959, depois de aplicadas mais de 40 mil toneladas de betão;
Na Benfeita, Leonardo Mathias, em 1944, prometeu mandar fazer uma torre, mais modesta, em pedra de xisto, para homenagear o homem que se opôs tenazmente à participação portuguesa na Segunda Guerra Mundial, António de Oliveira Salazar!
E logo o seu filho, o Dr. Mário Mathias, prometeu mandar fazer um sino, para colocar na referida torre, para anunciar o final da guerra, quando isso acontecesse.

Todos prometeram e todos cumpriram!

E desde o dia 7 de Maio de 1945, dia em que a guerra acabou na Europa, o célebre Sino da Paz da Benfeita, único em todo o território nacional, actual e passado, insular e ultramarino, e que bem se poderia chamar "Sino da Paz Português", celebra a paz portuguesa e homenageia todos os homens que para ela contribuíram, políticos e combatentes, nomeadamente aqueles que tiveram de pegar em armas, pela primeira vez em suas vidas, para defenderem o nome de Portugal no primeiro conflito que durou 54 meses, ou mais propriamente 1620 dias, tantos quantas as badaladas que o relógio da torre "dispara" sobre o Sino da Paz!

Oiça o toque do Sino da Paz! Hoje, 7 de Maio de 2018, dia de sol radioso, o Sino da Paz Português, ex-libris da nossa aldeia voltou a tocar as suas 1620 badaladas, badaladas que ninguém conta, porque são muitas, como muitos foram os dias de dor e sofrimento que ninguém quer voltar a viver, mas que todos receiam estarem próximo, de novo, porque o homem e o político esquecem com facilidade e não ouvem os apelos de um modesto sino, longínquo e distante, escondido nas pregas da serra!

Por ser um dia normal de trabalho (segunda-feira), o local estava deserto (com a excepção de alguns membros da Junta de Freguesia e de mais três ou quatro pessoas), não tendo aparecido ninguém para cantar o hino da paz. O grupo coral está cada vez menor, por envelhecimento e morte de alguns dos seus participantes e, mais uma vez, o mecanismo do relógio da torre "despachou" em 55 minutos, a uma cadência de 30 repiques (marteladas!) por minuto, a tarefa que, em tempos, demorava mais de uma hora e meia, em nada dignificando a pausada solenidade de outrora exigida para o momento.

VIVALDO QUARESMA


SITE DA BENFEITA - 06/05/2018

FESTA DA PAZ
Hélder Bruno, ao piano, na Benfeita!

Neste domingo, Dia da Mãe, pelas 17 horas, perante uma audiência interessada, o pianista Hélder Bruno, apresentou no Quiosque da Benfeita, um mini-concerto ao ar livre, integrado nas comemorações do 7 de Maio, Festa da Paz na Benfeita, promovido pela ADXTUR, Município de Arganil e Junta de Freguesia de Benfeita, entre outros.

Nele foram magnificamente interpretados, durante cerca de 40 minutos, 8 temas de sereno e terno encantamento que muito agradaram a toda a audiência.

Após o concerto, a organização ofereceu um lanche com produtos da gastronomia local, a todos os presentes.

E a chuva, que inicialmente ameaçou estragar o convívio, apenas o baptizou ternamente, dando ainda mais encanto ao momento.

A tarde abriu novamente com um sol radioso permitindo uma degustação tranquila e agradável, tal como se viria a transformar toda a tarde.

VIVALDO QUARESMA



 OUTROS ANOS: