BENFEITA.BLOG.2009

NOTÍCIAS DA TERRA...


JORNAL DE ARGANIL - 29/10/2009

Alfredo Martins
Sempre ao lado do povo

Tal como se previa, Alfredo Martins venceu, folgadamente, as eleições Autárquicas 2009, para a Freguesia de Benfeita. Era uma conquista já esperada, embora tenha acontecido de forma avassaladora, uma autêntica cabazada, com uma percentagem superior a 85 por cento dos votos expressos, um feito invulgar a nível nacional, certamente a figurar no topo do ranking do nosso país. Não conheço em pormenor as votações das 4.260 freguesias de Portugal mas, seguramente, o notável registo conseguido por Alfredo Martins, se não está no primeiro lugar do pódio estará lá próximo.

Por isso, é com todo o gosto que aqui lhe deixo publicamente os meus parabéns pela vitória esmagadora. E também lhe transmito o enorme desejo de que tenha a força, paciência e coragem suficientes para cumprir mais quatro anos de trabalho aturado e paciente, para dar continuidade ao êxito inegável de uma gestão autárquica bem conseguida, dentro das conhecidas limitações financeiras de uma freguesia pobre a carenciada de meios.

Estou à vontade para elogiar o meu amigo Alfredo. Primeiro, porque não votei nele. Como resido e trabalho na capital, naturalmente, voto em Lisboa. Depois, porque o Monte Frio, no folheto do manifesto eleitoral, não constou da lista das obras a realizar futuramente, nem das obras relevantes efectuadas pela freguesia no último mandato (excepção para o alcatroamento da estrada de ligação à Mata da Margaraça, da responsabilidade da Câmara Municipal de Arganil).

Contudo, enquanto dirigente da Comissão de Melhoramentos de Monte Frio, tenho legitimidade para afirmar que o presidente da Junta de Freguesia de Benfeita terá sempre o apoio dos montefrienses. Porquê? Pela sua maneira de ser e pela forma de agir e de trabalhar, com eficácia, em todos os momentos e situações. Também pela amizade e solidariedade que sempre manifestou, com disponibilidade total, a sua presença física sempre que se impõe. Independentemente das políticas, o Alfredo é um dos nossos, pugna pelos nossos projectos, sempre na primeira linha no apoio das nossas iniciativas. Infelizmente, a escassez de meios não lhe tem permitido fazer mais pelo Monte Frio. Mas reconhecemos o esforço para responder aos nossos anseios e, na realidade, o autarca Alfredo Martins esteve sempre ao nosso lado. Não para executar grandes obras (o grande empreendimento que é o Salão Social tem sido edificado, até agora, com o esforço exclusivo dos montefrienses), mas para fazer ou ajudar a fazer pequenas e médias obras. Recordamos a construção do muro do campo da bola, a reabilitação dos dois lavadouros públicos, a limpeza das ruas e valetas, a plantação e rega das árvores, o arranjo do cemitério e outras pequenas solicitações. Ao longo destes quatro anos o homem nunca disse NÃO. Dentro do possível sempre respondeu PRESENTE. Esteve sempre, sempre ao lado do povo. A sua conduta de autarca exemplar foi marcante em todas as aldeias da freguesia. Pela mobilização e o entusiasmo das pessoas, na festa da campanha eleitoral, que decorreu no espaço da Nossa Senhora das Necessidades, com a presença de Ricardo Pereira Alves e de todos os candidatos do PSD, à Câmara Municipal de Arganil, viu-se bem que o envolvimento popular era enorme. Por alguma razão o Alfredo conseguiu a votação que teve. E se atendermos a que estamos numa zona do interior rural, bastante significativo é o facto da taxa de abstenção se ter cifrado em apenas 28,4 por cento (quase metade da média nacional). Sinto o dever de lhe agradecer a disponibilidade e a generosidade. E, na verdade, faço-o só agora porque, há que dizê-lo, não o fiz antes para não interpretarem como campanha eleitoral.

Maioria absolutíssima na Benfeita

Sem pretensiosismo político e sem querer menosprezar as listas de outros concorrentes, devo referir que os dez por cento da candidatura do PS e os dois por cento da CDU não chegaram para eleger qualquer elemento para a Assembleia de Freguesia. A vitória infligida pela lista do PSD, comandada pelo Alfredo Martins, motivou uma maioria absolutíssima. Ou seja, apenas se elegeram elementos desta lista, tudo da mesma cor, designadamente: Alfredo Oliveira Martins (Presidente da Junta de Freguesia); José Pedro Gonçalves Martins (Secretário); e Carlos Simões Marques (Tesoureiro). Marcelo Rosário Oliveira (Presidente da Assembleia de Freguesia); Rogério Gonçalves Pereira (vice-presidente); Isabel Gonçalves Costa, António Nunes Castanheira, Horácio Campos Marques, Ângelo Figueira dos Santos e António Simões da Silva (vogais).

V.C.

Nota: Satisfazendo a curiosidade demonstrada pelo Sr.Vitor Cândido, o Site da Benfeita pesquisou e informa que os 85,02% dos votos conseguidos pelo presidente Alfredo Martins, correspondem à posição 115ª a nível nacional (4260 freguesias).


JORNAL DE ARGANIL - 17/09/2009

Mega arroz doce delicia aldeia

À volta de 20 pessoas estiveram envolvidas na preparação da sobremesa, confeccionada numa panela com, aproximadamente, 1 tonelada, com 3m de diâmetro e 1m de altura, e colheres de pau de 2,5 m feitas, intencionalmente, na zona. "São os próprios habitantes que confeccionam. Pedimos ajuda a algumas pessoas da terra, aquelas que achamos que têm fama de fazer um dos melhores arroz-doce", explicou Nuno Gonçalves, um dos sócios do bar promotor da iniciativa, ao nosso jornal.

por: Diana Duarte

Com a aldeia cheia de curiosos, necessitando-se mesmo a intervenção da GNR para regular o trânsito, o presidente da Junta de Freguesia de Benfeita, Alfredo Martins, revelou ser "encorajador" a presença deles "para que esta aposta possa ser revitalizada e pensada uma nova edição".

Veja, AQUI, a notícia completa de evento realizado em 13/09/2009.


SITE DA BENFEITA - 15/08/2009

Inauguração e benção da imagem de NªSªda Conceição

Benção de Nossa Senhora da Conceição

A nova imagem de Nossa Senhora da Conceição, colocada no Largo da Oliveira, foi hoje inaugurada e abençoada pelo padre Dr.António Dinis, numa pequena cerimónia inserida na procissão habitual da festa da aldeia, nas comemorações do 15 de Agosto.

Conforme estava previsto, foi entregue ao tesoureiro do Centro Social da Freguesia de Benfeita, Sr.António Martinho, depois da missa, o valor dos donativos recebidos para a Santa, em curso desde o dia 14 de Junho, e que constituem a contribuição da Santa para as obras do Lar de Idosos da Benfeita, tendo-se obtido um total de 345 euros.

A população da Benfeita cedo percebeu que, mesmo que não contribuísse para o ofertório, a imagem da Santa estava garantida e iria ocupar o lugar que lhe estava destinado tendo, alguns, preferido abster-se de participar. Respeitámos o gesto porque a participação era voluntária e porque sabemos que a vida não está fácil, apenas lamentamos que a contribuição da Santa para as obras do Lar da Benfeita fosse tão reduzida.

Este projecto, idealizado e concebido pelo Site da Benfeita, na pessoa do seu responsável, foi acarinhado, desde o início, pelo presidente da Junta de Freguesia de Benfeita, Sr.Alfredo Martins, de quem contou com uma inestimável colaboração; pelo pároco de Santa Cecília, Dr.António Dinis e contou, ainda, com a simpatia de quase toda a população da Benfeita.

De todos os comentários de louvor que recebemos, registámos o de uma senhora idosa que nos afirmou: "Ainda bem que roubaram a imagem antiga!..." tendo acescentado, logo após ter visto a nossa cara de espanto: "Se não fosse isso, não teríamos, agora, este espaço tão lindo!" - Esta forma de construir positivamente sobre um acontecimento negativo, comoveu-nos!

As obras foram custeadas pela Junta de Freguesia da Benfeita e incluíram: a coluna em xisto, para suporte da imagem da Santa; a placa com o brasão da freguesia, esculpida manualmente em pedra Lioz; a vedação em varão de ferro curvado e respectiva fixação e soldadura; e o arrelvamento do espaço, cuja manutenção e embelezamento, a Junta de Freguesia, chamou a seu cargo.

A nova imagem de Nossa Senhora da Conceição é, agora, pertença e orgulho de todos os Benfeitenses que, de novo, voltam a sentir o calor da sua protecção.

VIVALDO QUARESMA


SITE DA BENFEITA - 30/07/2009

"4 Copas", na Benfeita!

Sob iniciativa do "Quiosque da Benfeita" e da "Zon-Lusomundo" foi exibido no campo de jogos da Benfeita, no passado dia 23 de Julho, em ante-estreia nacional, o filme português "4 Copas", do realizador Manuel Mozos (Lisboa, 1959), com a participação dos actores João Lagarto, Margarida Marinho, Rita Martins e Filipe Duarte, nos principais papéis. Este filme aborda os temas "jogo-vício-infidelidade" com um forte sentido dramático e foi romanceado em estilo clássico, sem qualquer preocupação de originalidade ou inovação; mas que, embora não sendo uma obra extraordinária, a população da Benfeita viu com agrado e aplaudiu.

A SIC esteve na Benfeita para testemunhar esta ocasião que enche de orgulho os habitantes da aldeia e recolheu depoimentos de alguns espectadores locais que enalteceram e louvaram a iniciativa do "QB" que, pelo segundo ano consecutivo, vem brindando a população com cinema grátis, ao ar livre, estando já prevista uma próxima sessão com a exibição do filme "Call Girl", de António Pedro Vasconcelos, com a exuberante, desinibida e descomplexada atriz-manequim Soraia Chaves, no próximo querido mês de Agosto.

SIC

SIC - Há quanto tempo não vai ao cinema? Que acha desta iniciativa? E do filme?
JOSÉ DA COSTA - Isto é bom porque atrai muita gente de fora e divulga o nome da terra.

Zé da Mata

Jorge Piriscas

JORGE SIMÕES - É bom porque a gente gosta de ver e é de louvar a iniciativa daqueles que tudo fizeram para trazer cá o filme.
LUCINDA GOMES - Estou satisfeita porque já não vou ao cinema há perto de 40 anos.

Guilho

ADELINO FONSECA - É bom para dar um pouco de vida a isto. Estas aldeias estão quase mortas!
JOSÉ RAMOS - A gente aqui na aldeia tem poucas distrações e poucas vezes vê isto. A "malta" gosta de ver!

ISAURA DIAS OLIVEIRA - Foi bom! Já no ano passado tivemos cá dois filmes: o "Mamma Mia" e "Aquele querido mês de Agosto", que também gostei muito de ver.
ILDA NUNES DA COSTA - As traições no casamento dão sempre muita confusão; mas, foi bom de ver, pronto!

ANABELA PEREIRA - Não seria capaz de fazer uma coisa daquelas, porque sou uma pessoa fiel, mas gostei de ver o filme!
MARIA ADELINA D'ASSUNÇAO - Foi bom e foi bonito. Aproveito para mandar um beijinho, com muita saudade, para toda a gente que passou no "Cruzamento da Viúva", no norte de Moçambique.

Adelina Prata

VIVALDO QUARESMA
Fotos SIC.pt


SITE DA BENFEITA - 22/06/2009

Corrida de Carrinhos de Rolamentos

A Junta de Freguesia da Benfeita realiza no próximo dia 5 de Julho, pelas 15:30, uma Corrida de Carrinhos de Rolamentos, entre as Luadas e a Benfeita, num bonito percurso com aproximadamente 1320 metros, onde não faltam curvas para todos os gostos com grau de dificuldade variável e onde a perícia dos concorrentes será posta à prova, com muita adrenalina garantida.

O circuito decorre numa descida com uma inclinação de cerca de 9,5% (140 metros em todo o trajecto), garantindo aos participantes uma velocidade sustentada que pode atingir os 60 kms por hora. Ao longo do percurso serão colocados alguns fardos de palha, nas zonas mais problemáticas, para minimizar danos em caso de despiste.

O custo de participação nesta prova inclui seguro, almoço e brindes e estão previstas 3 categorias de participação: madeira, ferro e alterados, sendo atribuídos prémios aos primeiros classificados. Serão ainda conferidos 2 prémios especiais, ao carrinho mais original e à melhor participação feminina.

Veja aqui o Veja, aqui, o cartaz! cartaz da corrida e o Veja, aqui, a ficha de inscrição! regulamento com ficha de inscrição.

VIVALDO QUARESMA


SITE DA BENFEITA - 14/06/2009

A Feira das Freguesias de Arganil

Abertura da tasquinha da Benfeita!

Conforme previsto, realizou-se no fim-de-semana de 12 a 14 de Junho, a Feira das Freguesias de Arganil-IV Mostra Gastronómica, onde estiveram pesentes as 18 freguesias do Concelho de Arganil com outras tantas Tasquinhas (stands com esplanada) encarregadas da divulgação do património gastronómico da região representada.

O evento teve lugar, como habitualmente, nos locais mais emblemáticos na Vila de Arganil: na Praça Simões Dias, Fonte dos Amandos e zonas adjacentes. É uma iniciativa da Câmara Municipal de Arganil e já faz parte do calendário de animação da região.

A Freguesia da Benfeita esteve representada pela Liga de Melhoramentos das Luadas que, na ementa gastronómica, apresentou: cabrito assado no forno, bacalhau assado no forno, chouriço do bucho, tigelada, arroz doce e cuscoréis. Muito apreciada foi, também, a "serradura", bebida típica alcoólica, com frutas, muito divulgada nas Luadas.

Em ambiente festivo actuaram 20 grupos concelhios, entre filarmónicas, tunas, grupos e ranchos folclóricos que se exibiram alternadamente em dois palcos - um colocado na Praça Simões Dias e, o outro, na Fonte dos Amandos.

O certame incluiu o "Concurso Gastronómico-Feira das Freguesias 2009" destinado a divulgar e a preservar o património gastronómico e cultural do Município, para promoção do Prato Principal e da Sobremesa Tradicional mais votada por um juri constituído por 5 elementos, representando as seguintes entidades: ARESP–Associação da Restauração e Similares de Portugal; Confraria do Bucho de Arganil; Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra; Instituto do Emprego e Formação Profissional de Arganil e Região de Turismo do Centro.

A Freguesia da Benfeita apresentou o seu famoso "Cabrito assado" e arrecadou um honroso PRIMEIRO PRÉMIO, enchendo de orgulho a população da Benfeita e todos aqueles que lá comeram o tão apreciado prato. Os nossos parabéns aos amigos José Pinheiro e Horácio Marques e a toda a equipa presente na Tasquinha da Benfeita! E, já agora, estendemos aqui também o nosso cumprimento ao presidente da Junta de Freguesia, Alfredo Martins que, desde o primeiro momento se mostrou muito participativo e colaborante.

VIVALDO QUARESMA


SITE DA BENFEITA - 14/06/2009

A festa do Santíssimo

Como de costume, cerca das 9 da manhã, a banda da música chega à aldeia e, acompanhada pelos mordomos da festa, logo iniciam uma volta pelas ruas do povoado, fazendo soar, alegremente, os seus afinados e reluzentes instrumentos musicais.

A banda toca nas ruas da aldeia

O tempo parecia estável, mas não se manteve favorável durante muito tempo, começando a chover logo após o início das celebrações religiosas.

Serviço religioso

Dentro da Igreja Matriz de Santa Cecília, o Padre António Dinis celebrou a liturgia, acompanhado pelo coro da Filarmónica Barrilense, pelos membros da Irmandade do Santíssimo Sacramento e incorporando 15 crianças da freguesia que faziam a sua Confirmação de Fé. Aproveitou, ainda, para informar da colocação da nova imagem de Nossa Senhora da Conceição, no Largo da Oliveira e cuja inauguração está prevista para o próximo dia 15 de Agosto.

O tempo chuvoso não permitiu que se fizesse a habitual procissão do Santíssimo Sacramento pelas ruas da aldeia, facto que foi sentido por todos os devotos, tendo o acto religioso terminado antes da hora prevista.

Concerto no quiosque.

Depois de almoço, a banda da música deu um concerto no Espaço Multiusos onde está instalado o Quiosque da Benfeita, onde algumas pessoas assistiram comodamente instaladas.

VIVALDO QUARESMA


SITE DA BENFEITA - 13/06/2009

Caminhada na serra

Antes da saída - a foto da praxe!

Organizado pelo Clube Seita-BTT/Lazer, mais um grupo de amantes da natureza se dispôs a conhecer as belezas naturais da Benfeita num radioso dia de Santo António, percorrendo os antigos caminhos de xisto que os nossos pais, tios e avós usaram, diariamente, para se deslocarem na serra, em actividades ligadas à sua sobrevivência.
Através destes difíceis acessos sentimos como também deveria ser difícil a vida de então e podemos compreender uma das razões mais fortes que motivaram a desertificação que as nossas aldeias têm vindo a sofrer nas últimas décadas.

Hoje sentimos algum prazer em desfrutar estes espaços e sabe-nos bem sentir o calor do Sol e o aconchego de uma sombra que nos abriga, a fresca água da ribeira e o suave canto dos passarinhos. Os cheiros que se misturam e se agarram ao ar puro que respiramos, fazem-nos sentir mais fortes e mais resistentes ao cansaço da caminhada.

Numa rápida prece agradecemos ao Criador toda esta paz e toda esta beleza; mas, ainda assim, não podemos deixar de pensar que, até há bem pouco tempo, isso, em nada pesou quando os nossos pais procuraram outros espaços para viver e para nos educar.

Embora dizendo tanto apreciar estas paisagens, continuamos a preferir o bulício, o stress e a insegurança dos grandes centros para viver e trabalhar. Visitar estes lugares e contactar a natureza, permite-nos estar mais próximos daqueles cuja vida de sacrifício aprendemos a respeitar e a conhecer a sua história.

VIVALDO QUARESMA


SITE DA BENFEITA - 10/06/2009

A crise encerra "A Comarca de Arganil"

O já centenário jornal "A Comarca de Arganil" suspendeu hoje a sua publicação.

Já havia quem aguardasse este desfecho desde Julho de 2008, altura em que se verificou a passagem da periodicidade do jornal, de bissemanal (já praticada desde 1927) para semanal, sintoma de grave enfermidade financeira, confirmado pelos atrasos no pagamento de salários e pelo processo de insolvência apresentado, em Dezembro de 2008, ao Tribunal Judicial de Arganil; mas, gente havia, a quem este desenlace apanhou desprevenida, como um raio. E, era difícil acreditar; era como a notícia da morte de um velho amigo, de um parente próximo!
Desde 1901 que os Arganilenses se tinham habituado à sua presença no seu quotidiano, razão pela qual todos nós iremos sentir a sua falta.

No editorial da despedida, o seu director Jorge da Costa Pereira, evoca a honestidade como principal obstáculo do sucesso, afirmando que "quem é honesto, dificilmente consegue vencer as dificuldades". Não concordamos com esta afirmação e nem acreditamos que a "crise financeira" que atingiu "A Comarca de Arganil" se deva a excesso de honestidade ou à falta dela. Mas, também não é isso que aqui pretendemos evocar ou comentar. Com crise ou sem crise, acreditamos que é a vontade e a inteligência dos homens que determina o seu maior ou menor sucesso, por maiores que sejam as adversidades que tenham de enfrentar.

A consternação e a tristeza dos leitores e dos assinantes deste jornal segue paralela com o desgosto daqueles que lá trabalharam e que, de repente, ficaram à mercê de um subsídio de desemprego. "A Comarca de Arganil" era um elo-de-união à terra, para aqueles que dela se encontravam ausentes e que, de repente, sentiram quebrar-se, independentemente de, alguns, até já terem pago a sua assinatura até final do ano em curso.

"A Comarca de Arganil" era um jornal regional prestigiado que recebeu, por ocasião da comemoração do seu centenário, a Medalha de Ouro do seu Concelho e era, sem dúvida, o jornal mais lido no concelho e concelhos limítrofes, razão pela qual nele se publicavam todos os anúncios dos Tribunais e Cartórios Notariais de toda esta região.

O desaparecimento deste jornal empobrece as colectividades, as aldeias, o regionalismo e toda esta vasta região da Beira Serra; no entanto, esperamos que esta suspensão seja temporária e que uma nova "Comarca" emerja recuperada da crise, mais rica e saudável e que, de novo, volte ao nosso convívio.

VIVALDO QUARESMA


SITE DA BENFEITA - 04/06/2009

Os feriados de Junho

A próxima "ponte" de 12 de Junho sugere-nos umas mini-férias bem tranquilas junto de familiares e amigos. E, se você estiver recenseado na freguesia da Benfeita, venha uns dias mais cedo para poder votar no dia 7, nas Eleições Europeias.

10/06 (4ªfeira)
. Feriado Nacional - Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas e, por coincidência, dia em que o nosso pároco, o RevºPadre Dr.António Dinis comemora o seu 69ºaniversário.
. Abertura do Quiosque da Benfeita para a época de Verão 2009.

11/06 (5ªfeira)
. Feriado do Corpo de Deus, ou quinta-feira Santa.
. Sardinhada popular na Liga de Melhoramentos da Benfeita, pelas 16:30, mediante marcação prévia.

12/06 (6ªfeira)
.Início da IV Feira das Freguesias, uma mostra gastronómica na Praça Simões Dias, centro histórico de Arganil, onde a Benfeita irá estar representada pelas Luadas, com José Pinheiro e Horácio Marques, numa tasquinha típica com os já conhecidos pratos tradicionais da região: cabrito e bacalhau, assados em forno de lenha, chouriço do bucho, tigelada, arroz doce e cuscoréis e onde serão exibidas muitas atracções musicais a cargo das colectividades do concelho, nomeadamente ranchos folclóricos e tunas.

13/06 (Sábado)
. Dia de Santo António - feriado Municipal em Lisboa.
. Circuito Pedestre, organizado pelo Clube Seita BTT/Lazer, com saída prevista para as 10:00 e chegada às 17:00, integrado no Programa "Acampamento na Praia Fluvial da Benfeita".
. Continuação da Feira das Freguesias, em Arganil.

14/06 (Domingo)
. Festa do Santíssimo Sacramento, uma tradição de grande simbolismo para a nossa aldeia.
. Circuito Pedestre, organizado pelo Clube Seita BTT/Lazer (continuação), com saída prevista para as 09:30 e chegada às 13:00, seguida de repasto comunitário.
. Último dia da Feira das Freguesias, em Arganil.

VIVALDO QUARESMA


SITE DA BENFEITA - 17/05/2009

A Liga de Melhoramentos leva a efeito, no próximo dia 11 de Junho, nas suas instalações, na Benfeita, pelas 16:30, uma tarde popular onde a "Sardinha Assada" será a estrela principal, acompanhada pelo dueto local "Pão e Vinho". São, ainda, atracções de cartaz o "Caldo Verde" e as "Doçarias" tradicionais, onde se salientam o "Arroz Doce" e a "Tigelada", entre outras.
A sua presença está sujeita a inscrição prévia até ao dia anterior, por 5 euros (sócios) ou 7 euros (não sócios), nos locais habituais.
A Liga de Melhoramentos aproveita, assim, a tradição dos santos populares para promover mais este convívio entre os seus associados e amigos. Aproveite, também, esta ponte de Junho para cá vir passar uns dias com a sua família e amigos.

VIVALDO QUARESMA


SITE DA BENFEITA - 07/05/2009

Nossa Senhora da Conceição

O desaparecimento da imagem de NªSªda Conceição provoca, em algumas pessoas da Benfeita, uma enorme consternação e tristeza, quando passam pelo Largo da Oliveira e vêem vazio o lugar que, anteriormente, lhe pertencia. Os santos fazem-nos companhia e sentimo-nos mais calmos e confiantes quando sentimos a sua protecção.

Gostaríamos que essa sensação de proximidade voltasse, de novo, a aquecer alguns corações arrefecidos da nossa comunidade e, por isso, resolvemos mandar esculpir esta imagem, semelhante à anterior, por forma a causar uma sensação de "regresso" ao lar.

No entanto, julgámos que deveríamos dar a oportunidade aos Benfeitenses para chamar "sua" a nova imagem de NªSªda Conceição e permitir que se organize uma colecta para a Santa. Quando participamos na compra de um objecto sentímo-nos mais próximos, mais íntimos, mais donos desse bem. Quando ele nos é oferecido, temos a tendência para não o valorizar convenientemente.

É isso que se pretende, que cada benfeitense contribua com aquilo que possa e queira, ou ache adequado, para que se possa sentir mais próximo da Santa. É, também, uma forma de lhe dar as boas-vindas e de a integrar na nossa comunidade. A receita obtida reverterá integralmente a favor da construção do Lar de Idosos da Benfeita e todos os donativos serão registados e divulgados no Site da Benfeita.

A nova imagem já está, desde hoje, à guarda do Centro Social e Paroquial e será colocada no local onde se encontrava anteriormente a imagem roubada, estando prevista a inauguração do local e benção da imagem, para o próximo dia 15 de Agosto. A Junta de Freguesia da Benfeita tomou a seu cargo a construção de um novo plinto em xisto, a fixação da imagem e o embelezamento de toda a zona envolvente, até finais do mês de Julho. O Padre António Dinis aprovou a ideia e acarinhou esta iniciativa do Site da Benfeita.

VIVALDO QUARESMA


SITE DA BENFEITA - 07/05/2009

Foto da Rhitta du Rukka!

Hino da Paz

Brasílio Figueira, um primo afastado de Pai-das-Donas que, com o seu acordeão, dá o seu toque ao grupo que, sem ensaios prévios, ataca "O 7 de Maio", já se sentindo algum cansaço e uma ligeira desafinação nalgumas vozes. Mas, o importante, é a determinação e o empenho dos participantes. É preciso comemorarmos a vida e celebrarmos a paz na aldeia, no país e na Europa, e desejarmos que o resto do mundo se entenda e respeite.

O hino "O Sete de Maio" é atribuído a Monsenhor Augusto Nunes Pereira, nascido em 03/12/1906, no lugar da Mata, Fajão, Pampilhosa da Serra e foi pároco em Coja, de 1935 a 1952. Este padre-artista, conciliou o exercício do seu múnus pastoral com um crescente interesse pelo cultivo das artes, desde a poesia à escultura em madeira, jeito que herdou de seu pai que era santeiro, desenhava a carvão, pintava aguarelas, fazia gravuras em metal e dominava a técnica do vitral.

O Sete de Maio

O sete de Maio
Não esquecerá!
O sino escutai-o,
Ele vos lembrará,
Que foi nesse dia
Que por toda a terra,
Uma voz corria,
Acabou a guerra!
Chorai de alegria!

Ó gente boa, amiga,
Vem à Benfeita e verás
Junto à capelinha antiga
Ouvir o Sino da Paz.
Naquela Torre altaneira,
Dedicada a Salazar,
Um raminho de oliveira
E uma pombinha a voar.

Benfeita bendita
Aldeia formosa,
Que tens Santa Rita
Santa milagrosa.
Que guia teus passos
Pelo bom caminho
E liga com laços,
Através de espaços,
O amor divino.

O meu lindo povoado,
Que à beira da serra fica,
Fez a torre Salazar,
No largo de Santa Rita,
Que tem o sino da Paz
E o relógio monumental
Que anuncia a todo o Mundo
O fim da Guerra Mundial.

VIVALDO QUARESMA


SITE DA BENFEITA - 07/05/2009

As 1620 badaladas do Sino da Paz

Mais um ano se cumpriu a tradição Benfeitense de comemorar o fim da guerra na Europa que ocorreu, finalmente, com a assinatura da capitulação nazi, em 7 de Maio de 1945.

Este dia trouxe, aos portugueses, uma enorme sensação de alívio porque, embora Salazar tivesse conseguido manter-se neutral e pacífico durante 5 anos, sempre havia a pairar sobre a sua cabeça o espectro da guerra e a possibilidade de novo envolvimento e, os portugueses, ainda bem se lembravam dos horrores, do luto nacional e familiar, e dos racionamentos passados durante a Primeira Grande Guerra que durou 54 longos meses, de Junho de 1914 a Novembro de 1918.

O Sino da Paz ecoou pela aldeia enquanto um animado grupo de cidadãos, embora cada vez mais reduzido, festejava na praça a passagem do 64º aniversário do acontecimento.

Esta velha tradição evoca, exactamente, o número de dias de privações e sacrifícios (54x30) que as famílias portuguesas viveram na Primeira Guerra Mundial e agradece a Salazar o facto de não termos participado na Segunda.

O toque das 1620 badaladas evocativas (135x12) foi perpetuado no mecanismo do relógio da Torre que as repica, automaticamente, no Sino da Paz, especialmente mandado fundir em bronze para o efeito.

Este ano a TVI (Televisão Independente) esteve entre nós, tendo passado um simpático apontamento no seu Jornal Nacional das 20 horas que encheu de orgulho os benfeitenses residentes, e os ausentes espalhados pelo mundo, e despertou a curiosidade dos que, não sabendo deste já velho costume local, passaram a conhecer o nome da BENFEITA.

VIVALDO QUARESMA


SITE DA BENFEITA - 27/04/2009

Obras na aldeia!

Finalmente, as tão desejadas obras, começaram! O Centro Social e Paroquial da Benfeita iniciou, hoje, as obras para ampliação das suas actuais instalações onde proporciona aos idosos da nossa freguesia as suas valências de Centro de Dia, Apoio Domiciliário e Acompanhamento.

Avançando para as obras com um capital reconhecidamente insuficiente, e sem ajudas governamentais, o Centro Social pretende, agora, dotar as suas instalações com as condições necessárias para ali poder acolher um total de 20 idosos, em regime de internamento, em 6 quartos duplos e 8 individuais. Prevê-se que a obra possa ter duas fases, sendo que a segunda fase dependerá da obtenção do capital em falta, calculado em cerca de 500 mil euros e que depende, exclusivamente, do apoio directo dos mais interessados e das boas vontades da população da freguesia.

Esta nova valência é desejada desde há muito tempo dado que, em caso de necessidade, a população local têm de recorrer a Lares de Idosos localizados em terra estranha, longe dos seus familiares e amigos. Por isso, os Benfeitenses vêem, com alguma alegria e esperança, a remoção das primeiras pedras que dão início às obras, embora, os mais cépticos, vaticinem que "se calhar, já cá não estarei quando for a inauguração do Lar".

Ao Centro Social da Benfeita desejamos toda a felicidade e que a concretização deste antigo sonho benfeitense seja uma realidade a curto prazo.

VIVALDO QUARESMA

Veja mais abaixo: Apresentação do projecto do Lar de Idosos da Benfeita


JORNAL DE ARGANIL - 30/03/2009

83º ANIVERSÁRIO DO JORNAL DE ARGANIL
Não fechem o Jornal enquanto eu fôr vivo

“Não fechem o Jornal enquanto eu fôr vivo!”. Não se trata de um pedido mas de uma ordem que nos chegou à redacção. Quem tem a vivência da Imprensa Regional não estranha palavras que escondem, por detrás da sua secura, uma carga de emoção avivada pela espontaneidade que, infelizmente, não chega às altas instâncias; e mesmo se chegasse o mais provável seria não serem compreendidas. Vem isto a propósito dos 83 anos do Jornal de Arganil, e a mensagem chegou vinda de um dos seus colaboradores que terá tantos anos como ele.

Depois de muito se ter ouvido falar, genericamente, sobre as dificuldades que a Imprensa Regional atravessa, parece que todos se estão a aperceber que elas já passaram a ombreira da porta e nos estão a entrar “pela casa a dentro”. As razões mais directas são conhecidas, pois a forte diminuição no apoio às remessas de correio foi amplamente difundida. O resto também já não tem segredo, dado o número de pequenas e médias empresas que, diariamente, encerram neste país.

Modernizem-se, foi a palavra de ordem ditada pela alternativa apresentada de alojamento gratuito num Portal. Haverá quem pense que, em meses, se possa substituir a edição em papel por edição digital? Haverá quem pense que a adaptação a novas tecnologias, não só por parte dos leitores, como também dos funcionários, se faz à velocidade dos “megabytes”? Parece que sim, lá onde estão os órgãos de decisão. Nós, por cá, não acreditamos. Todas as mudanças têm um peso económico elevado, principalmente em empresas com estruturas antigas, já herdadas. Vale a pena? De certeza que a análise fria dos números, com as suas previsões tidas como cientificas (serão?) nos convenceriam a cruzar os braços e pensar que “até os dinossauros desapareceram”. Mas a realidade é outra. Um empresário local não “fecha a porta” sem dar o que tem e o que não tem (não faltam exemplos na nossa Região). Por isso, neste momento, estamos a dar o nosso Tudo. Temos 24 páginas, é pena, desejaríamos ter o dobro; só quatro páginas a cor, é pena, queríamos ter todas; temos edição on-line, sonhamo-la de melhor qualidade...

Quem sabe se a crise por que atravessa o Mundo não nos vai ajudar a valorizar mais o “nosso”, criando laços semelhantes aos que já viveram os nossos antepassados nestas paragens. Uma palavra de solidariedade a todos os empresários que publicitam nas nossas páginas, uma grande saudação aos nossos colaboradores, um agradecimento aos nossos fiéis leitores, um apelo a todos os que residem por outras paragens, não esquecendo o canto em que nasceram, para que colaborem na divulgação deste Semanário que, a final, é de todos.

Maria da Conceição Oliveira
Arganil, 30 de Março de 2009

Os nossos parabéns à Administração, Direcção, Técnicos e Colaboradores do JORNAL DE ARGANIL, instrumento de comunicação e fonte de cultura da nossa região, na passagem de mais este aniversário e os nossos sinceros votos de muitas felicidades nestes tempos que se adivinham difíceis.
Aqui registamos o nosso profundo respeito e admiração por quem tem norteado o seu trabalho pelo compromisso com a verdade e desenvolvimento da nossa terra, registando a história da nossa gente, sempre com muita sinceridade e profissionalismo. PARABÉNS!

VIVALDO QUARESMA


RÁDIO CLUBE DE ARGANIL - 24/03/2009

Apresentação do projecto do Lar de Idosos da Benfeita

A direcção do Centro Social e Paroquial da Benfeita apresentou, no sábado, o projecto do Lar de Idosos da Benfeita, um investimento estimado em cerca de 900 mil euros, e que, numa primeira fase, apenas será financiado pela própria instituição, que já tem disponíveis 400 mil euros para o efeito. Contando sobretudo com o apoio da própria população, o objectivo da direcção é concluir as obras no primeiro e segundo pisos, e posteriormente, se houver meios financeiros, avançar com os terceiro e quarto pisos. Entretanto, as obras deverão começar até ao final do próximo mês de Abril, sendo que em breve vai ser lançada a “campanha da telha” em que quem quiser ajudar pode contribuir com uma telha, ao preço de 2 euros cada.

“Dentro de pouco tempo as máquinas entrarão aqui e a primeira parte será feita”, garantiu o presidente de direcção do Centro Social e Paroquial da Benfeita durante um almoço convívio que decorreu nesta freguesia do concelho de Arganil. Agradecendo a todos os presentes nesta iniciativa, o pároco António Dinis contou que o projecto do Lar de Idosos na Benfeita “já há bastante tempo está nas nossas mentes”, estando “no momento de arrancar”, frisou. De acordo com o dirigente, antes de começarem as obras, era necessário dar conhecimento aos utentes e à população em geral, de forma a obter também o seu “consentimento”.

O tesoureiro do Centro Social e Paroquial da Benfeita, designando este projecto de uma “longa caminhada”, referiu também que “há muitos anos que na freguesia de Benfeita se fala na necessidade de construir um Lar de Idosos”. Perante esta necessidade, a direcção desta instituição “começou a trabalhar para dar forma à ideia e concretizar o sonho”, verificando que, depois de algumas reuniões com entidades ligadas à Segurança Social, havia “fracas perspectivas no que respeita a ajudas oficiais”. Assim sendo, decidiram elaborar um projecto que agora foi apresentado e colocado em análise.

“A direcção, através de várias acções e de uma gestão equilibrada, sem prejudicar a qualidade quer da alimentação, quer das instalações, disponibiliza 400 mil euros”, anunciou Carlos Cerejeira, lembrando que “faltam-nos 500 mil euros”. Apelando às pessoas sobretudo da freguesia da Benfeita para que colaborem neste projecto, o tesoureiro garantiu que “estaremos ao vosso lado a lutar para tornar possível esta obra”. “Neste momento, depende mais de vós, do que de nós”, explicou, reforçando que “se recebermos sinais claros de entusiasmo e afinco para angariar os meios financeiros necessários, a obra terá início até ao fim do mês de Abril”.

Coube ao vice-presidente da instituição fazer a apresentação do projecto do Lar de Idosos, realçando que apesar das dificuldades “vamos continuar a trabalhar”. Segundo António Martinho, esta nova infraestrutura vai comportar, no primeiro piso, uma sala de convívio, a entrada principal que dará acesso à escada e ao elevador, a casa das máquinas, um armazém, a parte de emfermagem e assistência médica, o gabinete da assistência social, a secretaria, uma sala para a direcção, lavandaria, sanitários e uma área para os funcionários.

No segundo piso, haverá um refeitório, uma cozinha, um hall de entrada, o elevador, casas-de-banho e uma sala. “Depois há uma passagem envidraçada onde está a central térmica e dois arrumos”, explicou o vice-presidente do Centro Social e Paroquial da Benfeita, acrescentando que no terceiro piso estarão quatro quartos duplos e oito individuais, com casas-de-banho privativas e aquecimento central. Para além disso, “na casa que vai ser demolida e construída, há mais dois quartos com casa-de-banho individual, uma sala e uma copa”, revelou, contando que no último piso estarão ao dispor mais dois quartos, uma sala e um hall de entrada. Este projecto vai ser implantado numa área de 451 m2, numa área de construção de 1345 m2, ficando o alçado Sul ao lado da Igreja, e o alçado poente virado para a Rua António Nunes Leitão.

Enquanto cidadão, e presidente da junta de freguesia de Benfeita, Alfredo Martins mostrou-se “solidário” com a realização desta obra na freguesia, enaltecendo que os dirigentes do Centro Social e Paroquial da Benfeita “estão a explorar tudo, no sentido de optimizar o espaço”. Embora lamentando o facto da junta de freguesia não ter grandes recursos financeiros, o presidente garantiu que “estará na primeira linha para vos ajudar, quer em termos económicos, quer em termos de disponibilidade de utilização de todas as estruturas da junta que possam ser úteis para este projecto. Por outro lado, Alfredo Martins assegurou a sua colaboração para “encontrar as negociações necessárias” para que a instituição consiga obter outros apoios, nomeadamente da Câmara Municipal de Arganil.

RÁDIO CLUBE DE ARGANIL


SITE DA BENFEITA - 23/03/2009

Moinhos gigantes!

Ventoínhas gigantes paradas em dia de calor!

Os meus olhos são uns olhos,
E é com esses olhos uns
que eu vejo no mundo escolhos,
onde outros, com outros olhos,
não vêem escolhos nenhuns.

Quem diz escolhos diz flores!
De tudo o mesmo se diz!
Onde uns vêem luto e dores,
uns outros descobrem cores
do mais formoso matiz.
...
Inútil seguir vizinhos,
querer ser depois ou ser antes.
Cada um é seus caminhos!
Onde Sancho vê moinhos,
D. Quixote vê gigantes.

Vê moinhos? São moinhos!
Vê gigantes? São gigantes!


[António Gedeão – Impressão digital]

Moinhos gigantes espreitam a Área de Paisagem Protegida da Serra do Açor

A energia eólica tem conhecido um crescimento exponencial nos últimos anos e ameaça candidatar-se a ser o próximo pomo da discórdia em Portugal, porque as "ventoínhas gigantes" aparecem desordenadas, em desvario, no cimo dos montes sem qualquer cuidado estético ou de respeito pelo ambiente. Existem zonas, em Portugal, em que o impacto paisagístico destes perfeitos monstros até assusta. E tudo porque o dinheiro ainda fala mais alto do que a ética, a estética e o bom senso.

As autarquias locais têm agora uma nova e inesperada fonte de receita com a colocação e funcionamento destas monstruosidades e, algumas, até "acendem algumas velinhas à Santa EDP", para que ela se lembre de lhes enviar umas tantas máquinas de vento para lhes trazer novas receitas. E quantas mais vierem, melhor, maior é a receita. Quanto ao resto... seja o que Deus quiser! Eles que ponham os gigantes barulhentos onde acharem melhor!

Não é a energia eólica que incomoda, antes pelo contrário, ela é bem-vinda, compreendida e desejada. Nem é o valor que a EDP paga por cada Quilowatt produzido que está em causa. A nossa preocupação é meramente ambiental – a falta de enquadramento na paisagem, é que assusta! Esta violação da paisagem natural é uma espécie de poluição paisagística!

Estes monstros não poderiam ter um aspecto mais amigável? Sempre que os vejo acho-os deslocados e assustadores. Qual a vantagem de se espalharem a esmo sem qualquer critério aparente, nos cumes dos montes, desvirtuando a paisagem? Não venham os engenheiros dizer que "ali o vento sopra mais forte" ou que "tem mais potencial eólico", porque nós sabemos que o "vento" é outro e, esse, só sopra mais forte onde o "custo" sopra mais fraco.

Será que a proximidade da Área de Paisagem Protegida da Serra do Açor é suficiente para suster esta invasão dos "aliens" da EDP e alguém declara esta zona Livre de Parques Eólicos ou os nossos montes estão condenados a perder a sua beleza paisagística?

Neste momento, estes monstros fantasmagóricos, ainda parecem simples avantesmas brancas; mas, uma altura virá (longe vá o agoiro) em que algum inteligente se vai lembrar de rentabilizar o investimento cobrindo-os com publicidade, ou os brilhantes artistas do graffiti se lembrem de lhes deixarem a sua inconfundível "impressão digital". Se calhar é de cor que eles precisam!

VIVALDO QUARESMA


SITE DA BENFEITA - 20/03/2009

O regresso às "cavernas"!

Palheiro recuperado, para venda!

Parece que está na moda recuperar, para vender a estrangeiros, a preços escandalosos, estas pequenas construções em xisto, espalhadas um pouco por toda a serra, utilizadas primitivamente para abrigo e para guarda de cereais, alfaias e animais, como ovelhas, cabras e cães.
Localizadas em acessos precários por entre calhaus e veredas, em verdadeiros caminhos de cabras, sem o mínimo de condições de salubridade, nunca ninguém em seu perfeito juízo, poderia dar a estas construções qualquer licença de habitação, seja para um casal em férias, seja para famílias mais ou menos numerosas; quer para gozo de férias, quer para habitação permanente.

As Juntas de Freguesia contemplam impotentes o florescer de alguns grupos de aventureiros estrangeiros, e não só, que se instalam nas suas matas e, mesmo apercebendo-se do risco que eles correm, nada podem fazer para impedir esta lenta invasão, dado aparentemente não disporem de qualquer instrumento legal que regulamente esta matéria.

O risco de incêndio é o mais frequente, como já aconteceu na Misarela, seguindo-se os casos de acidentes pessoais por quedas, mordeduras, picadas de insectos e todo o tipo de doenças por falta de condições de higiene.

Depois, em casos de catástrofe, lá vêm os problemas para as autarquias resolverem, como o realojamento em casos de incêndio ou derrocadas, pedidos de abertura de acessos pedestres e rodoviários, instalação de água, luz e saneamento. E, tudo isto, enquanto habitações devolutas na aldeia se vão deteriorando cada vez mais, por abandono ou morte dos seus proprietários!
Enquanto se poderiam reabilitar algumas destas habitações e entregá-las, para venda ou aluguer, a quem as quisesse habitar, vai-se permitindo que algumas pessoas vivam no mato, como animais, em "casas" que, outrora, apenas serviam para esse fim.

Quem poderá garantir um grau de segurança que assegure a protecção legal contra o desalojamento forçado, agressão e outras ameaças? Quem poderá garantir o acesso à saúde, conforto e alimentação, ou ainda, o acesso sustentado aos recursos naturais e comuns, como água potável, energia para cozinhar, aquecimento, electricidade, instalações sanitárias e de limpeza, meios de conservação de alimentos, sistemas de recolha e tratamento do lixo, esgotos e serviços de emergência? Quem garante habitabilidade a estas habitações em termos de proporcionar aos seus ocupantes espaço adequado, segurança, protecção do frio, da humidade, do calor, da chuva, do vento e outros perigos para a saúde, dos riscos devido a problemas estruturais e vectores de doença, enfim, o direito a um nível de vida condigno?

O que estará errado nisto? É vender estes palheiros para habitação, mesmo sem licença de habitação, ou permitir que as pessoas lá vivam, depois de os comprarem? Está tudo legal, dizem: o valor efectivo da compra, o valor da "gorda" comissão ao intermediário e o valor declarado na escritura (nós até acreditamos!). Tudo certinho!

No entanto, muita gente "abre a boca" quando agitam o chavão de que "todos temos direito a uma habitação condigna" mas, depois, encolhem os ombros e ainda dizem: "só lá vive quem quer". O problema é que nunca deveria ter sido autorizada ou consentida a utilização destes casebres para habitação de gente; pelo menos em Portugal, país da Europa, que deseja uma imigração digna e um crescimento do nível de vida dos seus habitantes, não um regresso às "cavernas".

VIVALDO QUARESMA


SITE DA BENFEITA - 27/02/2009

Nossa Senhora "Des-aparecida"!

A Benfeita está mais pobre! Em Novembro de 2008, os "amigos do alheio" passaram na nossa terra e, sem cerimónias, roubaram a nova imagem de Nª Sª da Conceição colocada no Largo da Oliveira, em Março de 2005, em substituição de uma pequena imagem de interior que ali se encontrava, há anos, dentro de uma pequena construção de alvenaria, coberta com um telhado artístico.

Até nas empobrecidas aldeias do interior, os ladrõezecos, que agora existem no nosso país, vêm cobiçar objectos que nunca ninguém pensaria proteger contra o roubo. Já, em 2007, os larápios "visitaram" a capelinha de São Bartolomeu! Foi maior o dano causado na fechadura e na porta da capela do que a perda de alguma coisa que pudesse eventualmente existir dentro da caixinha das esmolas. Lamentável!

Com cerca de 75cm de altura, esta estatueta em Pedra de Ançã, foi aqui colocada na sequência do Plano de Recuperação da Aldeia, num projecto incluído no arranjo urbanístico dos espaços públicos. É uma imagem recente, de fabrico nacional que, para além do seu pequeno valor comercial, não tem qualquer valor artístico, pelo que não garante mais valias nem a antiquários nem a coleccionadores de arte.

Cada vez é mais frequente lermos na comunicação social notícias de pequenos assaltos e furtos, no nosso concelho (e outros, como: Oliveira do Hospital, Seia, Tábua e Penacova) que geram pânico e revolta nas populações; por isso, aconselhamos as pessoas da terra a estarem alerta e a tirarem as chaves da porta, como ainda vai sendo habitual na nossa região.

O Posto da GNR de Arganil(*) foi devidamente informado da ocorrência pelo que, esta imagem, não deve ser adquirida por ninguém e quem souber do seu paradeiro deverá informar as autoridades ou a Junta de Freguesia da Benfeita (235741903).

VIVALDO QUARESMA

(*) - Telefone: 235200520 - Proc. 421/08.0.GBAGN


LIGA DE MELHORAMENTOS - 14/02/2009

A nossa Liga!

Associados e amigos da Liga de Melhoramentos da Freguesia da Benfeita:

Vimos, por este meio, informar os visitantes deste site, que iremos realizar um almoço-convívio no próximo domingo de Carnaval, dia 22 de Fevereiro, pelas 12:30h, na sede da nossa Liga, na Benfeita.
Da ementa constará carne assada na brasa com o típico arroz de feijão, salada, vinho tinto, proveniente da colheita da nossa terra, e sobremesas variadas, ao preço simbólico de 4 euros! (para associados com as quotas em dia).
Nesse mesmo dia serão entregues os cartões de associado e, para tal, esperamos a presença de todos, demonstrando o espírito de solidariedade que nos une.
Associado amigo, a sua presença é fundamental, pois a Liga somos todos nós - é algo que nos liga... a nossa Liga!
Caso deseje inscrever-se neste almoço, via email, por favor, utilize o nosso endereço: ligabenfeita@gmail.com

António José Martins Marques
Presidente da Direcção


JORNAL DE ARGANIL - 22/01/2009

Posto Médico

Amigos conterrâneos da nossa terra e freguesia, como é do conhecimento de todos, o nosso Posto Médico esteve fechado depois da saída do ilustre médico Dr. Manuel Gama que deixou muitas saudades. Agora, felizmente, chegou a hora bendita das suas portas se abrirem ao serviço dos doentes desta freguesia, pois este lugar foi preenchido por uma simpática médica, Drª Madalena Isabel Colaço dos Santos, natural de Mira. Os habitantes da freguesia estão satisfeitos pois, segundo opiniões ouvidas, trata-se de uma senhora muito atenciosa e carinhosa que atente os doentes com muita gentileza. Esperamos que fique por muito tempo ao serviço da freguesia, no Posto Médico, e desejamos-­lhe as maiores felicidades.

MINA


A COMARCA DE ARGANIL - 14/01/2009

Elsa Simões, uma conterrânea que nos orgulha

Elsa Maria Reis Simões é uma jovem nascida em Moçambique e que, em miniatura, aqui chegou acompanhada de seus pais, Fernando Simões da Silva (mais conhecido por Pêssego) e Maria Edite dos Reis Lázaro, por motivo da revolução de Abril de 1974.
Bem cedo começou a mostrar as suas capacidades intelectuais, observando-se que é pessoa com um grau de inteligência extraordinário, como se verifica para vencer as dificuldades por que passou tendo de coordenar os estudos com horários de trabalho para alcançar resultados estudantis de merecimento que lhe favoreceram a sua carreira e permitiram atingir os graus académicos sonhados.
Tendo alcançando a Universidade, ali conseguiu por mérito próprio uma bolsa de estudo para o Reino Unido, onde concluiu o curso de Engenharia, no ano de 2000. Logo conseguiu emprego e a sua ambição não parou. Faltava-lhe, porém, o mestrado em Engenharia, curso qualificado que em regra leva de 8 a 12 anos a concluir e esta nossa conterrânea acaba de o fazer na graduação estrutural em Engenharia, no Reino Unido, em pouco mais de oito anos.
Parabéns à Elsa Maria, seus pais, familiares e amigos pelo êxito do seu esforço e que assim lhe proporcione um futuro feliz sendo também motivo de regozijo para a nossa gente e para a região.

Cepo do Natal

Um razoável grupo de animadores da nossa terra, com a colaboração da Junta de Freguesia, conduziram ao Largo da Capela uma enorme montanha de cepos onde fizeram crepitar uma grande fogueira durante as três noites da praxe que deu lugar a petiscos que foram bem saboreados à volta da brasa. 
Na noite da Passagem de Ano reacendeu-se a fogueira e estava prevista uma sopa de pedra que só teve lugar no dia 1 e chegada a hora uma gigantesca panela colocada em cima do escaldante braseiro e com a participação de algumas senhoras e homens ali foi confeccionada uma deliciosa sopa em que a pedra serviu apenas para "dar o gosto". 
Muito apreciada por todos os benfeitenses presentes onde apenas teria faltado algum que estivesse mesmo impossibilitado.
Foi ainda alargado o repasto com febras assadas na brasa, vinho novo e broa de milho para a recordar a tradição.
Convívio ordeiro e alegre, bem participado, que desejamos tenha continuidade.
Foi precisamente há um ano que, exercendo a mesma acção de continuar a manter a tradição natalícia, Arlindo Martins Simões foi vítima de um acidente de certa gravidade. Ao ver-se recuperado e de novo colaborante, como que em acção de graças, custeou todas as despesas com uma grande satisfação.
Tivemos também neste dia a presença do Grupo de Bombos de S. Nicolau, de Pardieiros, que aqui fizeram uma estrondosa arruada.

A.COSTA
JORNAL DE ARGANIL - 08/01/2009

Festa do Natal

As festas de Natal, este ano, tiveram um bri­lho especial na nossa terra. Como é costume a fogueira dos cepos que, por tradição, costuma estar no Largo da Capela de Nossa Senhora da Assunção voltou a aquecer as noites frias. Se tal aconteceu foi graças à preciosa ajuda dos amigos Alfredo Oliveira Martins e José Pedro Martins que dis­puseram as suas carrinhas para o transporte dos grandes troncos que deram o ambiente de Noite de Natal. Para eles, e para todos os que ajudaram, aqui fica a mensagem de agradecimento.
Como é nesta época que se festeja a festa da família, ela teve o seu brilho no dia 28, domingo, com a santa missa às 14h30, presidida pelo pároco dr. António Dinis onde, além de muitos benfeitenses, estiveram presentes três casais estrangeiros que aqui residem. No final da celebração o senhor padre Dinis reuniu todos os casais junto ao altar onde lhes deu a sua benção. No fim das cerimónias todos se dirigiram ao Salão do Centro de Dia com as suas belas ofertas de muitas iguarias. Assistiram cerca de 50 pessoas onde se incluíram também estes casais estrangeiros que já consideramos benfeitenses. Também nos honrou a presença do nosso amigo João Trindade, de Coja, o grande ensaiador do nosso grupo coral que tem prestado bons serviços no que respeita aos toques de dois órgãos.
Vindo da África o Sul esteve o senhor Daniel Quaresma Santos sua esposa e filhos; é filho do nosso grande amigo António Quaresma Martinho, casado com a srª D. Arménia Pereira dos Santos. Vinda dos Açores, onde reside na Ilha do Pico, esteve a família Ana Prata, com a filha, genro e neto.
No final do convivio não faltou uma bela equipe de senhoras e cavalheiros que dedicaram belos poemas à Benfeita. Desta forma terminou um grande dia dedicado à família benfeitense.
Através das colunas deste jornal do qual sou um simples colaborador quero deixar uma mensagem de agradecimento e louvor a todos os que colaboraram para que esta festa fosse perfeita em alegria e amizade.

MINA

20172016201520142013201220112010 |  2009 |  200820072006200520042003