Ano anterior

2001

Ano seguinte

Data Localidade Nome Idade Campa

1

03-01-2001

Benfeita

Artur Simões

73

B212

2

04-01-2001

Monte Frio

Maria Cândida

77

M91

3

06-01-2001

Monte Frio

Arménio Martinho da Conceição

78

M102

4

22-01-2001

Monte Frio

José Bento dos Reis

93

MJ1

5

26-01-2001

Monte Frio

Maria da Conceição

80

M59

6

02-02-2001

Benfeita

José António Ramos dos Santos

62

B49

7

05-02-2001

Monte Frio

Ernesto Pedro

75

M39

8

14-02-2001

Pardieiros

Elísio Pereira

83

P3

9

16-02-2001

Enxudro

Antonino Filipe Duarte

68

B301

10

16-02-2001

Pardieiros

Maria de Jesus Fernandes

80

P64

11

05-03-2001

Monte Frio

Alice da Assunção de Jesus

88

M58

12

09-03-2001

Pardieiros

Alda Nunes

92

P17

13

29-03-2001

Monte Frio

Maria Leonor de Oliveira Leal da Cruz (trasl. Lisboa)

64

MJ2

14

07-05-2001

Luadas

António Gonçalves

84

B295

15

12-05-2001

Sardal

Joaquim Pereira Gonçalves

79

B302

16

15-05-2001

Benfeita

Diamantino Simões

73

B194

17

20-07-2001

Benfeita

António Nunes da Costa (Brotas)

88

B174

18

18-12-2001

Enxudro

Maria de Jesus Costa

70

B13

José António Ramos dos Santos Nascido em Lisboa, em 23/01/1939, José António Ramos dos Santos, viria a ocupar o cargo de Presidente da Junta de Freguesia da Penha de França, de Março de 1984 a Dezembro de 1989. Aqui faleceu aos 62 anos de idade, vítima de trombose cerebral. Os seus laços com a Benfeita tiveram origem no seu casamento.
Era casado com Maria Helena Dias Pinto Nunes, natural da Benfeita, e pai de Rui Carlos Nunes Santos e de Isabel Cristina Nunes Santos.
Aqui adquiriu e manteve a sua residência e alguns terrenos de cultivo e, aqui, por sua vontade expressa, quis ser sepultado.
Foi presidente da Liga de Melhoramentos da Freguesia da Benfeita durante 2 mandatos, de 10/09/1988 a 12/04/1990 e de 27/06/2000 a 04/01/2001. Era, ainda, membro efectivo da Assembleia de Freguesia da Benfeita, cargo que desempenhava com grande disciplina, isenção e simpatia.
Era uma pessoa muito estimada na aldeia e o seu falecimento causou uma forte consternação em toda a população, pois não se lhe conhecia qualquer tipo de doença ou debilidade.
O seu corpo foi velado na Igreja da Penha de França, onde afluíram muitos conterrâneos, e da qual saiu o préstito fúnebre para a Benfeita. O seu funeral foi precedido das exéquias habituais, nele se incorporando a Irmandade do Santíssimo e Senhora da Assunção, da Benfeita; representações do Centro Recreativo Estrelas da Avenida, de Lisboa, de que era vice-presidente; Filarmónica Pátria Nova, de Côja; Rancho Folclórico da Freguesia da Benfeita "Os Manjericos"; Liga de Melhoramentos da Freguesia da Benfeita; Centro Social Paroquial da Benfeita e muito povo, em cujos rostos era visível uma grande dor e profunda saudade.